Adicionando recursos avançados ao seu roteador wireless

Outro dia, cansado de carregar aquele fiozinho azul de um lado pro outro, decidi arrumar um roteador wireless. Já estava na lista de possíveis aquisições, mas só quando veio realmente a necessidade é que tirei um tempo para ir atrás de um.

Linksys WRT54G2

Linksys WRT54G2

Depois de pesquisar um cado, acabei comprando o Linksys WRT54G2. (esse aí da foto)

Gostei muito dele, atendeu às minhas necessidades. Embora não tenha antena externa, seu alcance foi melhor se comparado a outros modelos equivalentes.

Implementa o protocolo IEEE 802.11g, o que possibilita até 54Mbps. Existem muitos já no mercado que implementam o IEEE 802.11n, que promete velocidades de até 300 Mbps, mas como a banda da minha humilde Internet não chega a 1 Mbps, não preciso de tanto (e a diferença de preço entre esses modelos é bem grande).

Além disso, ele tem uma aparência bem mais agradável e pode ficar em qualquer canto sem chamar atenção.

Apesar de várias opções em sua página de configuração web, que aliás é muito bem feita, senti falta de, por exemplo, poder controlar a potência da transmissão e de limitar (ou reservar) a taxa download de determinado IP ou porta (ethernet). Ele até permite configurar o upload, visando os adeptos de jogos on-line, mas nada sobre download.

Essas opções, de limitar a velocidade (taxa de transmissão), ou reservar uma certa largura de banda para um determinado serviço, entre outras funcionalidades, são conhecidas como QoS (“Qualidade de Serviço”, do inglês “Quality of Service“).

É uma característica extremamente desejável nos dispositivos de hoje, dado o avanço das transmissões de streams (de vídeo, de áudio, etc) que precisam de meios para garantir sua qualidade.

Por exemplo, imagine que você esteja conversando pelo Skype, e outra pessoa em sua rede baixando um arquivo. Quando a gente baixa um arquivo, ele é dividido em partes (pacotes) e cada uma é enviada separadamente. Se uma parte não chegar, o seu computador avisa sobre o fato para o computador que está enviando que reenvia o pacote perdido. Isso acontece até que todas as partes tenham chegado corretamente. O seu amigo, que está baixando o arquivo, nem vai perceber se alguns pacotes se perderem no caminho: no final do download, ele vai achar que tudo aconteceu normalmente. No entanto, pra você que está falando no Skype, quando um pacote se perde, não adianta ele ser reenviado, pois você provavelmente já terá ouvido a conversa “travar” antes dele chegar.

Com o QoS, você pode dizer para o seu roteador que os seus pacotes têm prioridades sobre os do seu “amigo”. Assim, se alguns pacotes tiverem que ser descartados, os dele serão primeiro.

Esse exemplo é bem simplório, mas serve pra ilustrar (bem por baixo) para que serve o QoS. Vale a pena ressaltar que essa perda citada é aquela causada pelos próprios roteadores: eles implementam filas de pacotes. Quando o pacote chega, entra na fila e espera sua vez. Se um pacote chegar, e a fila já estiver cheia, ele é descartado. No caso de um roteador que usa QoS, os pacotes com prioridades iriam pra filas diferentes, que provavelmente estariam vazias. É como aquele caixa para gestantes no supermercado! : P

Mas voltando ao assunto, o meu roteador não me permitia configurar certas coisas que eu gostaria, mas permitia outras que eram tão avançadas quanto. Ou seja, ele tinha essas funcionalidades, só não estavam acessíveis para configuração na página web dele.

E aí? Como ativar os recursos avançados do meu roteador? Alterando o firmware.

A maioria dos roteadores no mercado atualmente, rodam sistemas embarcados (normalmente Linux) para controlar suas funções e exibir a página de configuração via browser, etc. Esses sistemas são chamados de firmware.

Alterando esse firmware, mudamos o “sistema operacional” do roteador, fazendo com que ele ganhe (ou perca, dependendo do que colocamos lá) algumas funcionalidades.

Claro que isso não é nem um tipo de mágica. Dificilmente vamos mudar o protocolo que o roteador implementa, ou qualquer outra característica de sua essência. Mas podemos aproveitar ao máximo o que ele já tem (e que, como no meu caso, não estava sendo aproveitado).

E como fazer isso? Simples. É só seguir as instruções.

Cuidado!
As dicas a seguir podem causar danos ao seu roteador. Muitas pessoas fizeram e deu certo, mas isso não assegura que dará sempre. Então seja rigoroso, siga os passos com atenção. E, como é de praxe, eu não me responsabilizo por quaisquer danos, diretos ou indiretos, causados pelo uso dessas dicas ou programas. Use-os ao seu próprio risco.
QoS no DD-WRT

QoS no DD-WRT

Existe um firmware, open-source, que pode ser instalado nos roteadores compatíveis, adicionando várias funcionalidades a eles. Esse firmware é o DD-WRT.

Para instalar, não tem segredo. A página tem todos os passos e detalhes necessários. As instruções estão em Inglês, mas nada muito complicado.

  1. Então, a primeira coisa a se fazer é verificar se o seu roteador é compatível. Caso não seja, tenha cuidado: alguns podem dizer que as instruções de um modelo parecido funcione para o seu, mas isso não é garantido, nem mesmo aconselhável. O Linksys WRT54G2 felizmente é.
  2. Para instalar o novo firmware é só olhar as instruções de instalação. Existem instruções específicas para cada modelo (DLink, Linksys, etc). As instruções do WRT54G2 estão aqui. Normalmente, elas são basicamente isso:
    1. Verifique qual versão é compatível com seu roteador. Existem várias como a Micro, a Mini e a Standard. Aqui está a comparação entre elas.
    2. Baixe a versão sugerida.
    3. Baixe as ferramentas para enviar o firmware pro roteador.
    4. Siga as instruções para realizar o Flash do firmware (enviá-lo pro roteador), prestando muita atenção nos passos.
  3. Pronto. Se deu tudo certo, você acaba aumentar, em algumas centenas de reais, o valor do seu roteador. Agora é só acessar a interface de configuração web dele e ver as novidades.

As funções que foram adicionadas, ou seja,  as funções implementadas pelo DD-WRT, dependem, claro, da versão (micro, mini, standard, etc) que você instalou.

Algumas dicas de configurações:

Aumentando o alcance (sinal) do seu roteador wireless: É só ir na aba Wireless, depois em Advanced Settings. Localize a entrada Xmit Power. Ela está configurada por padrão em 28mW, e pode ser incrementada até 251mW. O manual do DD-WRT sugere que uma configuração segura seja de 70mW. Muitas pessoas colocam 100mW ou mais, mas isso poderia aquecer demais seu roteador e diminuir sua vida útil. Então, é só colocar o valor desejado e clicar em “Save Settings“.

Utilizando o QoS para dividir melhor a Internet: Enquanto os outros roteadores tratam as requisições de banda igualmente pra todo mundo, o seu novo roteador pode usar regras QoS para decidir quem tem prioridade. Se você divide sua Internet com aquela pessoa chata, que vive baixando Naruto o dia inteiro, você pode (deve!) limitar a taxa de download dela e conseguir navegar normalmente. Existem muitas possibilidades, como otimizar para jogos, priorizar por aplicação (priorizar a navegação (http), os programas P2P (eMule, etc), ou o Skype, para sua ligação não ficar ruim porque alguém achou um vídeo da hora no YouTube e resolveu assistir em HD), priorizar por endereço IP ou MAC, etc.

Pessoal, espero que seja muito útil, e que dê tudo certo. O artigo sobre usar códigos PHP no post sem problemas com o editor visual tá no forno. Quando tiver tempo termino e publico.

Dica Bônus: meu roteador parou de funcionar! E AGORA?

Se você fez alguma coisa errada e seu roteador parou de funcionar (virou um tijolo, bricked), tenha calma. Realmente é uma situação muito ruim, mas que às vezes pode ser revertida. Veja como nesse link. Nas instruções de instalação de cada roteador também costuma vir algo sobre. Por exemplo, para o WRT54G2. Além disso, existe um wiki do DD-WRT (a versão em português está à caminho) que pode ser muito útil.

fontes: DD-WRT, LifeHacker, Linksys (Brazil)

Sobre maverick